Segunda, 27 de Março, 2017

Mulheres e cinema de autor são destaques da 8ª edição do Festin

O Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa acontece de 1 a 8 de março em Lisboa. A atriz brasileira Mariana Ximenes, presente em dois filmes da competição do FESTin, estará no cinema São Jorge durante o festival.

Lisboa - O Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin), que decorre entre 1 e 8 de março no cinema São Jorge e no Instituto Cervantes, em Lisboa, voltará a pôr em destaque a produção cinematográfica dos nove países que compõem a comunidade dos países em língua portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Num ano em que alguns dos seus eventos estão inseridos na programação da Lisboa 2017 - Capital Ibero-americana de Cultura e que encerra, justamente, no Dia Internacional da Mulher, as temáticas femininas estarão presentes tanto na programação cinematográfica quanto nos eventos paralelos. Estas aproveitam a rubrica do evento ibero-americano – Passado e Presente – para relacioná-lo as atividades que analisam o papel feminino no audiovisual.

A atriz brasileira Mariana Ximenes, presente em dois filmes da competição do FESTin, estará no cinema São Jorge durante o festival. Não apenas um nome conhecido dos espectadores de telenovelas, Mariana Ximenes é uma das personalidades que mais investem em cinema alternativo no Brasil – vindo daí a participação num filme que coproduz ("Prova de Coragem") e outro onde atua ("Quase Memória") e que fazem parte da seleção principal.

No primeiro caso, trata-se da adaptação de um livro de Roberto Gervitz e conta a história de um casal, um médico e uma artista plástica presos entre o desafio do casamento, da proximidade do nascimento de um filho e as situações mal resolvidos no íntimo de cada um deles.

Já "Quase Memória" é um trabalho semiautobiográfico de um dos grandes nomes do Cinema Novo brasileiro, Ruy Guerra – que aqui desafia as regras narrativas e propõe um estudo sobre a memória. O elenco principal inclui Tony Ramos.

Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura: passado e presente

O FESTin foi um dos eventos culturais selecionados para fazer parte da Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura e aproveitou para acentuá-la no feminino. Entre as diversas atividades no cinema São Jorge, estão previstos debates, mesas redondas, masterclasses e pelo menos três programações especiais de filmes.

Fazendo a devida ligação com as Américas, o festival vai exibir títulos da cinematografia latino-americana, além de uma mostra especial, a realizar-se principalmente no Instituto Cervantes, de filmes de Titón (alcunha de Tomás Gutiérrez Alea), um dos mais prestigiados realizadores cubanos, falecido em 1996. 

A sua viúva, e protagonista de alguns dos seus filmes, Mirtha Ibarra, estará presente. A atriz foi responsável pelo documentário "Titón – de Habana a Guantanamera", que também será exibido.

O papel feminino na história do audiovisual português é igualmente observado na mostra de alguns trabalhos da realizadora Margarida Gil. Nascida na Covilhã e com uma extensa carreira no cinema e na televisão, a cineasta terá exibidos no São Jorge os seus filmes mais emblemáticos – caso de "Rosa Negra" (1992), que fez parte da competição no Festival de Locarno, "O Anjo da Guarda" (1998), "Adriana" (2004), "O Fantasma de Novais" (2012) e "Paixão" (2012).

Todas as informações sobre o festival estão disponíveis no site do FESTin – www.festin-festival.com

O FESTin é organizado pela ASCULP - Associação Cultura e Cidadania da Língua Portuguesa, em coprodução com o Cinema São Jorge e parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.E.M. e conta com o apoio financeiro da CML – Câmara Municipal de Lisboa.


Comentários (1)
1 Teixeira
09/02/2017 09:14
Boa matéria

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Comentário: