Sexta, 24 de Fevereiro, 2017

Salvador lança guia sobre carnaval 2017

Serão mais de 700 horas de música, com mais de 12 mil músicos envolvidos. O investimento total gira em torno de R$ 50 milhões, dos quais R$ 30 milhões são de patrocinadores.

Salvador - O prefeito da capital baiana, ACM Neto, apresentou, quinta-feira (16), o guia do carnaval de Salvador, no qual estão detalhadas informações sobre os blocos, locais e horários dos circuitos oficiais e alternativos da cidade. Neto informou que, durante os dias de folia, serão mais de 700 horas de música, com mais de 12 mil músicos envolvidos. O investimento total gira em torno de R$ 50 milhões, dos quais R$ 30 milhões são de patrocinadores.

"Este ano conseguimos o maior número de patrocínios, com três grandes patrocinadores e outros com ações específicas. Isso mostra que a festa está valorizada, porque o patrocinador ajuda a pagar a festa, o que nos permite investir em serviços públicos nos outros dias do ano", disse ACM Neto.

"Temos, também, a consolidação do carnaval sem corda, do carnaval na rua, democrático, de todos os ritmos e de todos os gostos. Vai ter carnaval na cidade toda, para qualquer idade, tocando os mais diferentes ritmos musicais, mas com muita organização, que é a prioridade para a prefeitura de Salvador", acrescentou.

Uma novidade deste ano é a disponibilização do uso de internet sem fio (wi-fi) gratuita para os foliões. O sinal será liberado no próximo sábado (17) e estará disponível até a Quarta-Feira de Cinzas (1º). O serviço será oferecido em 25 pontos da cidade, principalmente nos circuitos de carnaval, onde os foliões costumam registrar a festa com fotos e vídeos, e postar nas redes sociais.

Além dos serviços relacionados à estrutura física como limpeza, iluminação, mobilidade e informações sobre quais pontos da cidade terão acesso restrito, Neto destacou a importância de pontos de apoio à saúde e aos direitos humanos, durante o carnaval. Um dos exemplos são os espaços de convivência, que devem funcionar como pontos de acolhimento para filhos de ambulantes que estarão trabalhando nos circuitos da festa.

Durante o carnaval, do primeiro dia até a Quarta-Feira de Cinzas, crianças e jovens de até 16 anos, filhos de trabalhadores, poderão ficar abrigados em quatro unidades escolares destinadas a este fim.

Além disso, três camarotes acessíveis receberão foliões idosos ou com deficiência nos principais circuitos, como Campo Grande, Piedade e Ondina, com capacidade que varia entre 80 e 100 pessoas.
Nos locais de festa, também estarão espalhados agentes observadores de secretarias do município, que atuarão no combate e detecção de violação de direitos de mulheres, crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, além do combate à violência contra pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) e negros.

Para os casos de racismo e homofobia, a Secretaria Municipal da Reparação criou canais para receber denúncias. Por meio de um site, a secretaria vai coletar informações que poderão ser usadas na elaboração de políticas públicas sobre os temas, futuramente.

Qualquer denúncia de violação dos direitos humanos pode ser feita pelo Disque 100, no qual o anonimato é garantido. O objetivo é combater diversos tipos de violência e situação degradante imposta a qualquer pessoa, sobretudo no período do carnaval.

Campanha

Durante o evento na prefeitura de Salvador, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, lançou a Campanha Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes durante o carnaval. Também foi firmado o apoio do Ministério do Turismo à divulgação do carnaval de Salvador, nos canais da instituição, para "mostrar ao mundo o carnaval da Bahia".

"Eu não poderia ter escolhido um carnaval melhor para fazer a divulgação da campanha nacional, em parceria com a Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, com o Disque 100, para que, cada vez mais, se combata a exploração de crianças e adolescentes. São práticas que acontecem no dia a dia e que, muitas vezes, estão na casa vizinha, no bar, no restaurante, no hotel, na esquina, na rua e, muitas vezes, nós não enxergamos ou fazemos de conta que não estamos vendo", disse o ministro.

"Aqui temos milhares de turistas, e será uma ótima oportunidade para conscientizar as pessoas sobre esse tipo de crime, que é a exploração sexual de crianças e adolescentes. O Disque 100 recebe em torno de 17% a mais em denúncias durante o carnaval. Portanto, é uma época de vulnerabilidade, em que as pessoas têm que estar mais atentas", completou.

Marx Beltrão falou ainda sobre a importância de Salvador para o turismo nacional e sobre o incentivo ao setor. "Nós, do ministério, queremos abrir a liberação de vistos a alguns países, para que tenhamos, cada vez mais, turistas internacionais, vindo para o nosso país, gastar o seu dinheiro aqui e fomentar a nossa economia." Beltrão citou as 140 obras ligadas ao turismo em execução no estado da Bahia.

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Comentário: