Redes Sociais:
HomeNotíciaPolíticaLíderes políticos, sindicais, juristas e dirigentes de entidades entregam pedido de impeachment de Bolsonaro

Líderes políticos, sindicais, juristas e dirigentes de entidades entregam pedido de impeachment de Bolsonaro

Partilhar

Partidos políticos, parlamentares, líderes sindicais e entidades sociais protocolaram, nesta quarta-feira (30), na Câmara dos Deputados, pedido que unifica argumentos de anteriores 123 pedidos de impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro.


Portugal Digital com ABr


Os signatários apresentaram hoje (30), ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Esse documento é chamado de “superpedido de impeachment”, pois reúne, segundo os signatários, os argumentos de 122 pedidos já apresentados à presidência da Casa.

São cerca de 270 páginas assinadas pela Associação de Juristas Pela Democracia, Associação Brasileira de Imprensa, Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil, Central de Movimentos Populares, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, dentre outros. Os partidos políticos PT, PSB, PCB, PSTU, PDT, PSOL, PCdoB, Cidadania, Solidariedade e PCO também assinam o texto.

Entidades, sindicatos, partidos políticos e juristas apresentaram hoje (30), ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Esse documento é chamado de “superpedido de impeachment”, pois reúne, segundo os signatários, os argumentos de 122 pedidos já apresentados à presidência da Casa.

O pedido de impeachment atribui a Bolsonaro 23 crimes de responsabilidade agrupados em Crimes contra a existência da União; Crimes contra o livre exercício dos poderes legislativo e judiciário e dos poderes constitucionais dos Estados; Crimes contra o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais; Crimes contra a segurança interna; Crimes contra a probidade na administração; Crimes contra a guarda e legal emprego dos dinheiros públicos; Crimes contra o cumprimento de decisões judiciárias.

Os argumentos incluem acusações referentes à pandemia, como críticas a medidas de isolamento social e redução de aglomerações adotadas por governadores, assim como aos esforços para aquisição de vacinas produzidas na China, e negativas à compra do imunizante da Pfizer. Também foi citada a defesa de medicamentos sem comprovação científica contra a covid-19 como a hidroxicloroquina.

Os signatários também referem a participação do presidente em manifestações e uma suposta “interferência indevida” na Polícia Federal.

O pedido inclui a denúncia feita esta semana pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia sobre um possível esquema de corrupção no Ministério da Saúde, do qual o parlamentar afirma ter dado conhecimento e Bolsonaro.

Os 46 signatários também referem a participação do presidente em manifestações contra medidas de proteção para enfrentar a pandemia e  “interferência indevida” na Polícia Federal.

 

 


Partilhar